Testes POC no mercado veterinário: 5 motivos para investir

Testes POC no mercado veterinário: 5 motivos para investir

Testes POC no mercado veterinário: 5 motivos para investir

Estar atento às tendências da medicina veterinária e às novas tecnologias é fundamental para oferecer o melhor atendimento aos animais e aos seus tutores e, claro, impactar positivamente na rentabilidade deste tipo de negócio. Um dos mais importantes avanços tecnológicos do mercado veterinário diz respeito à modernização das soluções em diagnóstico que ajudam a otimizar a rotina do profissional. A tecnologia Point of Care Testing (POCT) é uma delas.

Testes Point of Care (POC) ou testes rápidos são testagens laboratoriais que podem ser realizados no local do atendimento veterinário. Existem diferentes testes POC que usam as mais diversas tecnologias, oferecendo inúmeras vantagens aos pacientes e aos tutores. Essas tecnologias possibilitam o acesso mais rápido aos resultados e diagnósticos, e consequentemente, agilizam a tomada de decisões e o tratamento precoce, caso necessário e possível. Outra vantagem é que os testes são feitos a partir de um pequeno volume de amostra de sangue ou urina, por exemplo. Os testes POC podem ser realizados em diferentes tipos de ambientes veterinários, incluindo clínicas e hospitais, laboratórios, em comunidades distantes e nas universidades. Além disso, devem ser realizados sempre por médicos veterinários habilitados.

A resolução nº 1374/2020 do Conselho Federal de Medicina Veterinária está em acordo com os guias de garantia e controle de qualidade1 da Sociedade Americana de Patologia Clínica Veterinária (ASVCP) e dispõe sobre a Responsabilidade Técnica, atividades clínico-laboratoriais, Estrutura e Funcionamento dos Laboratórios Clínicos de Diagnóstico Veterinário, Postos de Coleta, Laboratórios de Patologia Veterinária, além de outras providências. Nessa resolução estão as recomendações sobre a execução, qualidade e segurança dos testes laboratoriais em animais, inclusive dos testes POC.

Quais são os testes POC mais utilizados na medicina veterinária?

Na medicina veterinária, os testes POC mais utilizados são aqueles que usam anticorpos como biosensores (imunoensaios) ou equipamentos portáteis que utilizam diferentes metodologias analíticas, entre elas colorimetria, analisador óptico ou eletroquímica. A metodologia utilizada depende do tipo de analito a ser avaliado.

Já foram desenvolvidos ensaios imunoenzimáticos ou imunocromatográficos de fluxo lateral (LFIA) para detecção de diferentes agentes patológicos em inúmeras espécies1,2,3,4,5. Essas análises detectam a presença dos anticorpos contra agentes etiológicos e avaliam, por exemplo, a necessidade de re-vacinação. Evitando, dessa maneira, os efeitos colaterais associados à vacinação e reduzindo custos.

Fabricante de equipamentos e soluções para o setor de diagnósticos, a Celer recentemente entrou no mercado veterinário e lançou no Brasil duas linhas de produtos para animais de estimação: Analisador Ótico de Coagulação e o Analisador de Bioquímica Seca, do fabricante Wondfo, já parceiro da empresa nas soluções de diagnóstico humano. Utilizando um analisador bioquímico em conjunto com as tiras Celer BS Teste Quantitativo VET é possível analisar múltiplos parâmetros que avaliam a função renal (uréia, creatinina), hepática (alanina aminotransferase – ALT, aspartato aminotransferase – AST), cardíaca (creatina quinase – CK, CKMB), glicose, entre outros, de cães e gatos.

O analisador utiliza a metodologia de colorimetria fotoelétrica de química seca. A colorimetria tem como objetivo determinar a concentração de uma substância através da medição da absorção relativa de luz, tendo como referência a absorção de uma substância com a concentração conhecida. A incorporação da célula fotoelétrica dá uma medida direta da intensidade da luz e, consequentemente, da absorção, aumentando a sensibilidade do equipamento.

O uso da tecnologia de química seca é revolucionário, pois permite resultados mais precisos devido à estabilidade do reativo seco e com baixo impacto ambiental, já que não utiliza água ou outro reagente líquido para realizar os exames bioquímicos. O equipamento é portátil e podem ser testados pequenos volumes de amostras de sangue e plasma, cujos resultados são liberados em, aproximadamente, cinco minutos. Dados da literatura mostram e atestam a eficácia, sensibilidade e especificidade de analisadores bioquímicos portáteis na avaliação de diferentes parâmetros bioquímicos não só em animais domésticos, mas também em outros vertebrados6,7.8.

Testes POC na identificação de coagulopatias de animais domésticos

As coagulopatias são desordens causadas por problemas na coagulação e envolvem um ou mais fatores de coagulação plasmáticos. Em gatos e cachorros podem ser primárias (causa genética) ou adquiridas, estando associadas a infecções, câncer, insuficiência hepática e coagulação intravascular disseminada9,10.

Os testes de perfil de coagulação avaliam marcadores de coagulação e são recomendados para reduzir o risco de sangramento descontrolado. Os analisadores portáteis de coagulação estão amplamente disponíveis e são populares na medicina humana para avaliação dos perfis de coagulação. E, recentemente, foram introduzidos no mercado veterinário.

Muitos estudos avaliaram a eficácia dos analisadores de coagulação portáteis em comparação com o método de coagulação laboratorial de rotina e mostram a eficiência, acurácia e reprodutibilidade dos dados dos analisadores POC11,12. Entre os testes oferecidos pela Celer Biotecnologia ao mercado veterinário estão o tempo de protrombina (TP), Tempo de Tromboplastina Parcial Ativada (TTPa), Tempo de Coagulação Ativada (TCA), Tempo de Trombina (TT) e Fibrinogênio (FIB).

Os testes mensuram analitos distintos para avaliar diferentes parâmetros relacionados à coagulação. O Kit de FIB VET é indicado para determinar quantitativamente o FIB (Fibrinogênio), sendo utilizado no monitoramento de diabetes, infarto agudo do miocárdio, doenças infecciosas agudas, fibrinólise primária, hepatite grave, cirrose, entre outras. Já o Fast Test Tempo de Trombina é indicado para avaliação do tempo de trombina no sangue. É um teste de rotina para detectar a função de coagulação, anticoagulação e sistemas fibrinolíticos, sendo importante no monitoramento do tratamento com heparina e distúrbios do fibrinogênio.

O Fast Test Tempo de Trombina usa o método de coagulação para determinar o tempo de trombina, enquanto o Kit de TTPA VET serve para calcular o TTPA (Tempo de Tromboplastina Parcial Ativada). É um teste de triagem sensível usado para avaliar a via intrínseca de coagulação e para monitorar o tratamento com heparina. E o Kit de TP VET determina o TP (Tempo de Protrombina). O TP avalia a via extrínseca de coagulação e, também, pode ser usado para monitorar a terapia com anticoagulante oral.

O princípio de todos os testes é semelhante. Um coágulo é formado após a mistura do sangue com o reagente coagulante do kit de teste, convertendo o fibrinogênio em fibrina, a qual é insolúvel e, por isso, precipita formando o coágulo. O coágulo é, então, detectado pelo módulo óptico do analisador de coagulação, o qual mensura o tempo necessário para sua formação.

“O mercado veterinário tem se adaptado para atender a uma geração de tutores altamente exigentes e dispostos a investir cada vez mais nos melhores profissionais, tratamentos e tecnologias para seus animais de estimação. As clínicas precisam estar atentas ao perfil desse público e atendê-lo de forma eficiente, oferecendo as soluções mais inovadoras, precisar e que ofereçam maior qualidade de vida aos pets”, avalia Valter Tavares, biomédico da Celer Biotecnologia.

Mercado veterinário em expansão

Apostar na tecnologia POC, em outras metodologias inovadoras e em melhorias na infraestrutura do seu negócio veterinário é um grande investimento a se fazer no atual cenário. A indústria PET, que inclui serviços de medicina veterinária, de bem-estar e de alimentação, encontra-se em constante expansão. Segundo o último levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), o setor teve, em 2019, faturamento de R$ 22,3 bilhões. A pandemia e a crise econômica que abalaram o mundo todo não foram suficientes para impactar negativamente o mercado veterinário.

Em 2020, de acordo com a revista Forbes, o Brasil se consolidou como o segundo maior mercado de produtos PET. O crescimento do mercado veterinário no país tem como bases o aumento do interesse dos tutores na segurança e bem-estar dos seus animais de companhia, o aumento da população PET e a ameaça das zoonoses. Outro dado importante que contribui para a consolidação do mercado PET é um reflexo da pandemia:  o crescimento no número de adoção de animais de estimação no país. Todos esses fatores culminam na maior procura por consultas veterinárias e exames laboratoriais.

5 motivos para investir em tecnologia POC no mercado veterinário

Os testes rápidos têm facilitado o dia a dia dos profissionais, transformado o mercado veterinário e, claro, melhorado a qualidade de vida e o bem-estar dos bichinhos. Os benefícios da metodologia são variados.

  • Diagnóstico mais ágil: os resultados dos testes rápidos são liberados em até cinco minutos, tornando o diagnóstico imediato e agilizando o início do tratamento. Quanto mais cedo o tratamento, melhores as respostas para a maior parte dos casos clínicos.
  • Eficiência no trabalho: com a agilidade no resultado o profissional também otimiza seu trabalho, já que em uma mesma consulta ele realiza o exame, analisa o resultado e apresenta o diagnóstico. Nesse ritmo, o veterinário consegue expandir sua agenda e atender a um volume maior de clientes.
  • Experiência menos estressante para o PET: os testes POC são rápidos, menos invasivos e até indolores, dependendo do animal.
  • Inovação para o cliente: a relação entre bichinhos de estimação e tutores está cada vez mais afetiva. Se a experiência for tranquila para o PET, também será para o seu cuidador, que busca clínicas e hospitais que ofereçam soluções inovadoras que garantam a qualidade de vida e bem-estar dos animais.
  • Praticidade para grandes, médios e pequenos negócios veterinários: os testes Point of Care (POC) têm presença garantida em hospitais e clínicas de médio e grande porte que apostam na praticidade da tecnologia portátil. Já os pequenos negócios, como petshops (com veterinários responsáveis) ou clínicas em expansão ganham uma possibilidade de se tornarem competitivos oferecendo um novo serviço de diagnóstico.

Soluções inovadoras

Tanto o Analisador Ótico de Coagulação quanto o Analisador de Bioquímica Seca visam tornar mais modernas as rotinas de urgência e emergência na área veterinária. Hospitais, clínicas, laboratórios e profissionais independentes que queiram conhecer mais sobre os produtos e soluções em diagnóstico veterinário da Celer podem entrar em contato pelo telefone (31) 3413-0814 ou pelo e-mail comercial@celer.ind.br.

Referências Bibliográficas:
  1. Bergmann M, Holzheu M, Zablotski Y, Speck S, Truyen U, Hartmann K. Evaluation of a Point-of-Care Test for Pre-Vaccination Testing to Detect Antibodies against Canine Adenoviruses in Dogs. Viruses. 2021 Jan 26;13(2):183. doi: 10.3390/v13020183. PMID: 33530411; PMCID: PMC7911502.
  2. Bergmann M, Holzheu M, Zablotski Y, Speck S, Truyen U, Straubinger RK, Hartmann K. Comparison of Four Commercially Available Point-of-Care Tests to Detect Antibodies against Canine Parvovirus in Dogs. Viruses. 2020 Dec 23;13(1):18. doi: 10.3390/v13010018. PMID: 33374843; PMCID: PMC7823389.
  3. Reagan KL, McHardy I, Thompson GR 3rd, Sykes JE. Clinical performance of a point-of-care Coccidioides antibody test in dogs. J Vet Intern Med. 2021 Mar 6. doi: 10.1111/jvim.16087. Epub ahead of print. PMID: 33675146.
  4. Baral RM, Freeman KP, Flatland B. Analytical quality performance goals for symmetric dimethylarginine in cats. Vet Clin Pathol. 2021 Feb 1. doi: 10.1111/vcp.12951. Epub ahead of print. PMID: 33524207.
  5. Kelley HV, Waibel SM, Sidiki S, Tomatis-Souverbielle C, Scordo JM, Hunt WG, Barr N, Smith R, Silwani SN, Averill JJ, Baer S, Hengesbach J, Yildiz VO, Pan X, Gebreyes WA, Balada-Llasat JM, Wang SH, Torrelles JB. Accuracy of Two Point-of-Care Tests for Rapid Diagnosis of Bovine Tuberculosis at Animal Level using Non-Invasive Specimens. Sci Rep. 2020 Mar 25;10(1):5441. doi: 10.1038/s41598-020-62314-2. PMID: 32214170; PMCID: PMC7096388.
  6. Ji S, Yang Y, Jeong Y, Hwang SH, Kim MC, Kim Y. Comparison of three types of analyzers for urine protein-to-creatinine ratios in dogs. J Vet Sci. 2021 Jan;22(1):e14. doi: 10.4142/jvs.2021.22.e14. PMID: 33522166; PMCID: PMC7850794.
  7. Griffioen JA, Stowe DM, Trosclair M, Minter LJ, Vanetten C, Harrison TM. Comparison of Dilution on Eastern Box Turtle (Terrapene carolina carolina) and Marine Toad (Rhinella marinus) Blood Parameters as Measured on a Portable Chemistry Analyzer. Vet Med Int. 2020 Aug 27;2020:8843058. doi: 10.1155/2020/8843058. PMID: 32908664; PMCID: PMC7474372.
  8. Lindholm C, Altimiras J. Point-of-care devices for physiological measurements in field conditions. A smorgasbord of instruments and validation procedures. Comp Biochem Physiol A Mol Integr Physiol. 2016 Dec;202:99-111. doi: 10.1016/j.cbpa.2016.04.009. Epub 2016 Apr 12. PMID: 27083239.
  9. Green RA. Hemostasis and disorders of coagulation. Vet Clin North Am Small Anim Pract. 1981 May;11(2):289-319. doi: 10.1016/s0195-5616(81)50032-5. PMID: 7032048.
  10. Blois S. Hyper-hypocoagulable states. In: Ettinger S.J, Feldman E.C, Côté E, editors. Textbook of Veterinary Internal Medicine: Disease of the Dog and the Cat.8th ed. St. Louis, Missouri USA: Elsevier; 2017. pp. 2062–2077.
  11. Kelmer E, Segev G, Codner C, Bruchim Y, Klainbart S, Aroch I. Assessment of a portable prothrombin time analyzer (CoaguChek-XS) in dogs. J Vet Emerg Crit Care (San Antonio). 2014 Jul-Aug;24(4):455-60. doi: 10.1111/vec.12200. Epub 2014 Jul 15. PMID: 25039332.
  12. Tonthong S, Rungpupradit J. Coagulation testing: Comparison of portable (CoaguChek®XS) and automated coagulation analyzer in healthy cats. Vet World. 2020 Nov;13(11):2541-2545. doi: 10.14202/vetworld.2020.2541-2545. Epub 2020 Nov 27. PMID: 33363352; PMCID: PMC7750227.

Compartilhar este post

Deixe uma resposta