Celer doa testes rápidos para estudo soroepidemiológico com crianças de Ouro Preto e Mariana

Celer doa testes rápidos para estudo soroepidemiológico

Celer doa testes rápidos para estudo soroepidemiológico com crianças de Ouro Preto e Mariana

A Celer está colaborando com os municípios mineiros de Ouro Preto e Mariana para uma retomada segura das aulas presenciais nas escolas públicas. Para isso, a empresa irá doar 1.200 unidades do One Step Covid-2019 para a realização de um estudo soroepidemiológico com crianças em idade pré-escolar e escolar nessas cidades.

Conduzido pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), em parceria com as duas prefeituras, o estudo tem entre seus objetivos avaliar a incidência e a prevalência da infecção pelo SARS-CoV-2 nessa parcela da população. Serão testados 374 alunos matriculados em creches, escolas infantis e de ensino fundamental 1 e 2 da rede pública. O trabalho faz parte da tese de doutorado da professora Fátima Lúcia Guedes Silva, da Escola de Medicina da UFOP.

As amostras serão colhidas no domicílio dos participantes, que serão escolhidos aleatoriamente seguindo critérios estatísticos de pesquisa científica. As coletas se darão após autorização das próprias crianças e de seus pais e responsáveis, em três momentos distintos: setembro, outubro e novembro.

Estudo para entender a evolução da pandemia nas cidades 

As amostras de sangue venoso colhidas irão servir não apenas para pesquisa de anticorpos relacionados ao novo coronavírus, mas também para que se faça exames como hemograma, ferro sérico, albumina e colesterol. Esses exames relacionados a indicadores nutricionais têm por objetivo o mapeamento do impacto alimentar do fechamento das escolas na saúde das crianças, que serão também medidas e pesadas no local.

Já os pais ou responsáveis responderão a um questionário que ajudará os pesquisadores a traçarem um panorama mais preciso da evolução da pandemia nas duas cidades. As perguntas abordarão tópicos como relato de viagens no último mês, contato prévio com casos suspeitos ou confirmados, presença de sintomas, acesso a serviços de saúde, uso de medicamentos e comorbidades.

Na oportunidade, toda a família será orientada sobre medidas de prevenção da contaminação pelo novo coronavírus. Quando alguma criança testar positivo, ela será encaminhada para atendimento na rede básica de saúde. Já no início de 2021, os resultados serão colocados à disposição de gestores públicos para que a retomada das aulas seja feita com respaldo científico.

“Essa pesquisa, inédita no Brasil, será fundamental para que possamos aumentar nosso conhecimento sobre a incidência e prevalência da COVID-19 em crianças. Os estudos disponíveis até o momento demonstram um impacto brando da interrupção do ano letivo no número de casos de COVID-19. Mas é preciso entender a fundo essas questões para planejar a retomada das aulas”, comentou a pesquisadora Fátima Lúcia Guedes Silva.

Dados científicos para embasar políticas públicas

Objetivos do estudo:

> Avaliar a incidência e a prevalência da infecção pelo SARS-CoV-2 em crianças do ensino público nos municípios de Ouro Preto e Mariana

> Identificar a proporção de crianças com teste positivo para SARS-CoV-2

> Identificar a proporção de infecções assintomáticas ou subclínicas

> Calcular a incidência da infecção

> Caracterizar o perfil sociodemográfico das crianças, perfil antropométrico, hábitos alimentares e comportamentos durante a pandemia

> Subsidiar a gestão municipal para o retorno seguro às atividades escolares.

Múltiplos fatores envolvidos na retomada das aulas

No Brasil, em todos os estados, a totalidade dos alunos das redes pública e privada foi afetada por essa medida. Conforme explica a especialista responsável pelo estudo, diversos levantamentos já constataram os efeitos adversos ocasionados pelo fechamento das escolas.

“Há prejuízos econômicos para as famílias, que precisam encontrar formas alternativas de cuidado integral dos filhos, levando a um comprometimento profissional. Há, também, o acometimento educacional, perda do bem-estar infantil e, em muitos casos, surgimento da irregularidade alimentar, devido à vulnerabilidade econômica e consequente dependência da fonte gratuita de alimentação oferecida pelas instituições educacionais”, comenta Silva.

Diante desse cenário, o estudo dará sua contribuição para que o poder público possa empreender ações de amparo às famílias afetadas pelo fechamento abrupto das instituições escolares, sobretudo do ensino pré-escolar e fundamental.

One Step Covid-2019 e sua importância para saúde pública

Em todo o mundo, gestores públicos estão lançando mão de testes sorológicos rápidos para mapear a evolução da epidemia. Atenta à relevância de seu produto para a sociedade, a Celer já fez outras doações do tipo. No início de agosto, um inquérito epidemiológico no distrito de Antônio Pereira, em Ouro Preto, contou com esse apoio da Celer.

O teste rápido da Celer, que apenas deve ser aplicado por profissional treinado, é validado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS). Esse último, inclusive, apontou sensibilidade de 100% (resultado positivo para todas as 18 amostras verdadeiramente positivas) e especificidade de 98,7% (1 resultado positivo para 77 amostras verdadeiramente negativas.

A precisão do teste é reforçada por sua metodologia, que faz uma leitura conjunta de anticorpos de fase aguda (IgM) e anticorpos de fase tardia (IgG). Diversos estudos científicos têm demonstrado que o método é o mais apropriado para a detecção do SARS-CoV-2.

Caso fique alguma dúvida sobre o assunto, entre em contato conosco pelo e-mail assessoriacientifica@celer.ind.br.

Compartilhar este post

Deixe uma resposta