16 de fevereiro de 2022

Pacientes com fatores de risco para Tromboembolismo Venoso devem ficar atentos para os sintomas

Considerada uma das principais causas de mortes no mundo, o Tromboembolismo Venoso (TEV) vitimou uma em cada quatro pessoas em 2020. Anualmente, estima-se 10 milhões…

Considerada uma das principais causas de mortes no mundo, o Tromboembolismo Venoso (TEV) vitimou uma em cada quatro pessoas em 2020. Anualmente, estima-se 10 milhões de novos casos, um número que tem crescido em função da pandemia da COVID-19, que se transformou em mais um fator de risco para os pacientes. A lista inclui também pessoas hospitalizadas, que têm câncer, varizes, idosos, obesos, sedentários, em terapia hormonal, com mobilidade reduzida, com casos de infecção, submetidas a procedimentos cirúrgicos, fumantes, com histórico familiar e também gestantes que precisam ficar atentas a qualquer alteração nos membros inferiores e variações da capacidade respiratória e procurar atendimento médico o quanto antes, para evitar o agravamento do quadro.

Tromboembolismo Venoso

Potencialmente fatal para pacientes com fatores de risco, o Tromboembolismo Venoso (TEV) se manifesta por meio do aparecimento de coágulos de sangue (trombos) que se formam com mais frequência nas veias profundas das pernas (TVP) e podem se deslocar pelo aparelho circulatório e obstruir partes dos vasos sanguíneos dos pulmões (TEP), a popular embolia pulmonar, que é a terceira causa de morte por doenças cardiorrespiratórias no mundo.

Sintomas

O Tromboembolismo Venoso (TEV) é, na verdade, duas doenças.

No caso de Trombose Venosa Profunda, que atinge as pernas, os sintomas incluem:

  • dor espontânea ou palpação da perna ou coxa;
  • inchaço da perna, pé e/ou tornozelo;
  • vermelhidão e/ou mudança do tom da pele;
  • aumento da temperatura do membro.

No caso da TEP, ou embolia pulmonar, os sinais são:

  • falta de ar;
  • respiração acelerada;
  • dor no tórax que compromete a respiração profunda;
  • palpitação ou sensação do coração acelerado;
  • sensação de tontura e/ou desmaio;
  • tosse (às vezes com sangue).

Diagnóstico

Entre 45% e 60% dos casos de TEV são associados a hospitalização recente, que tenha ocorrido três meses antes do aparecimento dos sintomas. Mas, de forma geral, o controle dos danos provocados pela doença – entre eles a morte – depende do fator tempo para o início do tratamento. Nesse sentido, o diagnóstico precoce e efetivo é fundamental para salvar vidas.

Além do exame clínico do paciente e dos testes laboratoriais, a dosagem do Dímero-D (DD), substância encontrada no sangue, é uma ferramenta importante para confirmar a doença. Nos pacientes, o aumento da concentração de DD pode ser detectada uma hora após a formação do coágulo e permanece elevada por sete dias.

Solução de diagnósticos

O D-Dímero Quantitativo da Celer é usado em conjunto com o Finecare FIA Meter para determinar a quantidade do D-Dímero, presente em amostras de plasma ou sangue total, por meio da imunodetecção por fluorescência, que promove uma reação química que permite fazer a medição dessa substância e apontar a presença do trombo.

As amostras devem utilizar plasma ou sangue total e os anticoagulantes recomendados são Citrato de Sódio, Heparina ou EDTA.

Referências Bibliográficas

COSTA, Carla Alessandra da Rocha et al. Importância da dosagem do Dímero-D no diagnóstico e exclusão do trombembolismo pulmonar. Infarma. V.23, nº ¾. Brasil, 2011. Brasil. Disponível em: <http://revistas.cff.org.br/?journal=infarma&page=article&op=view&path%5B%5D=41>. Acesso em: 09 fev 2022.

ROSSI. Fábio Henrique. Tromboembolismo venoso em pacientes de Covid-19. Artigo de Revisão. J. Vasc. Bras. 19. 2020. Brasil. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/jvb/a/PJVXkwCHBcVtGZv7bZ939Dm/?lang=pt> Acesso em: 10 fev 2022.

INSTITUTO BRASILEIRO PARA SEGURANÇA DO PACIENTE. Uma a cada quatro mortes no mundo está relacionada a trombose. 2021. Brasil. Disponível em: <https://segurancadopaciente.com.br/protocolo-diretrizes/uma-a-cada-quatro-mortes-no-mundo-esta-relacionada-a-trombose/>. Acesso em: 08 fev 2022.

HOSPITAL CARDIOPULMONAR. Embolia pulmonar e a terceira causa de morte cardiovascular no mundo. Salvador. 2019. Disponível em: <https://www.cardiopulmonar.com.br/noticia/embolia-pulmonar-e-a-terceira-causa-de-morte-cardiovascular-no-mundo/>. Acesso em: 09 fev 2022.

CASTRO JÚNIOR, Caius Lucilios. Trombose, uma doença silenciosa alertada em dia mundial. Hospital das Clínicas da Unicamp. 2019. Disponível em: <https://hc.unicamp.br/trombose-uma-doenca-silenciosa-alertada-em-dia-mundial/>. Acesso em: 08 fev 2022.

ALMEIDA. Carlos Costa et al. Tromboembolismo Venoso – Diagnóstico e Tratamento. Sociedade Portuguesa de Cirurgia Capítulo de Cirurgia Vascular. Portugal. 2015. Disponível em: <https://www.spcir.com/wp-content/uploads/2016/06/Tromboembolismo_Venoso_Diagnostico_e_Tratamento_2015.pdf>. Acesso em: 08 fev 2022.

8 de outubro de 2021

Outubro Rosa é convite para a prevenção ao câncer de mama

Entre os objetivos da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável das Organizações das Nações Unidas (ONU) está a redução de 30% para 16% das mortes…

25 de fevereiro de 2021

É possível detectar anticorpos da vacina nos testes rápidos de COVID-19?

Para controle da pandemia da COVID-19 é muito importante que a maioria da população seja vacinada. Agora que as primeiras pessoas já começaram a receber…