19 de abril de 2022

Obesidade canina pode comprometer a qualidade de vida do animal

Pouca gente resiste ao olhar pidão de um cachorro. Com jeitinho, eles conseguem até a comida do prato, do café da manhã até o jantar….

Pouca gente resiste ao olhar pidão de um cachorro. Com jeitinho, eles conseguem até a comida do prato, do café da manhã até o jantar. De pedacinho em pedacinho, experimentam um pouco de tudo que passa pela cozinha da casa, o que pode trazer satisfação para a gula do animal, mas não necessariamente para a sua saúde.

Com essa dieta “experimental”, o cão começa a engordar e, embora possa parecer mais fofinho, na verdade, pode estar doente, já que o sobrepeso é um problema que pode comprometer gravemente a saúde do melhor amigo.  Assim, além de aprender a identificar esse caso e seus sinais, os tutores devem mudar de atitude e ter em mente que, nem sempre, comida de gente é a mais indicada para o pet.

Obesidade canina

A obesidade canina acomete entre 20% e 40% dos cães, em países desenvolvidos e em desenvolvimento. Geralmente, é constatada quando o melhor amigo tem mais de 15% de sobrepeso em comparação com a característica original da raça.

A principal causa é a alteração do comportamento alimentar, quando o animal ingere alimentos com altos níveis energéticos ou em grande quantidade, um problema causado pelo tutor, que oferece comida desbalanceada, petiscos e guloseimas para o animal.

A obesidade canina também pode ser resultado de um problema endocrinológico, como hipotireoidismo, hiperadrenocorticismo, hiperinsulinismo, insulinoma e diabetes mellitus. Doenças que, entre outros sintomas, também alteram o peso do animal.

Sintomas

Além do aumento de peso, o que fica perceptível a olho nu, há sinais que devem ser observados pelo tutor. São eles: cansaço físico ao tentar andar ou correr, dificuldade para se levantar, se locomover ou respirar e comportamento sedentário.

Diagnóstico

Ao observar os sintomas, é importante acionar o veterinário de confiança, para que ele possa avaliar o quadro e prescrever um tratamento o quanto antes. Um dos métodos usados para diagnosticar o problema é o Escore de Condição Corporal (ECC), onde se avaliam as características corporais baseando-se na inspeção e palpação da camada de gordura corporal, a partir de escalas numéricas que variam de 1 a 9. No caso do sobrepeso, a variação é de sete a 10, quando as costelas do animal não só não aparecem, como são dificilmente detectáveis com o toque. Também não há reentrância abdominal.

Além do exame clínico, há testes laboratoriais que podem auxiliar no diagnóstico e no prognóstico dessa doença e que devem ser realizados periodicamente para avaliar o resultado do tratamento.

Solução de diagnóstico

O equipamento Finecare da Celer é uma solução completa para exames laboratoriais em pets. Por meio de uma plataforma de testes de imunofluorescência, realiza 9 tipos de procedimentos, como o HbA1C (hemoglobina glicada), usado para confirmar diagnóstico de obesidade canina.

O equipamento tem sistema de controle de temperatura integrado e permite análise de amostras de sangue total, plasma ou soro, com leitura do resultado entre 3 e 15 minutos.

Referências Bibliográficas

DROGAVET. Obesidade canina: como identificar e prevenir. Brasil. 2019. Disponível em: <https://www.drogavet.com.br/caes/obesidade-canina-como-identificar-e-prevenir/#:~:text=O%20que%20%C3%A9%20a%20obesidade,peso%20ideal%20para%20a%20ra%C3%A7a>. Acesso em: 04 abr. 2022.

PORTALVET. Riscos da obesidade para cães e gatos. Brasil. Disponível em: <https://portalvet.royalcanin.com.br/saude-e-nutricao/controle-de-peso/riscos-da-obesidade-para-animais/>. Acesso em: 04 abr. 2022.

BLOG PETZ. Obesidade canina: como identificar se seu PET está acima do peso. Brasil. 2020. Disponível em: <https://www.petz.com.br/blog/bem-estar/obesidade-canina-como-identificar-se-seu-pet-esta-acima-do-peso/>. Acesso em: 04 abr. 2022.

BESTRAME, Olair Carlos et all. Hemoglobina Glicada e Frutosamina em Cães com Diabetes Mellitus.  Cienc. Anim. Bras., Goiânia, v.16, n.4, p. 548-552 out./dez. 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cab/a/cgFhs5PrK9swGfJnj75HxGC/?lang=pt&format=pdf. Acesso em 04 abr. 2022.

 

 

5 de novembro de 2021

Celer anuncia parceria com a líder francesa BIOSYNEX no Brasil

Nossa parceria inédita com o laboratório europeu BIOSYNEX® tem contribuído de forma decisiva para a evolução e a sustentabilidade do mercado brasileiro de saúde com…

16 de fevereiro de 2022

Pacientes com fatores de risco para Tromboembolismo Venoso devem ficar atentos para os sintomas

Considerada uma das principais causas de mortes no mundo, o Tromboembolismo Venoso (TEV) vitimou uma em cada quatro pessoas em 2020. Anualmente, estima-se 10 milhões…