Cidade de Betim usa teste rápido da Celer para monitorar evolução da COVID-19

Cidade de Betim usa teste rápido da Celer para monitorar evolução da COVID-19

Cidade de Betim usa teste rápido da Celer para monitorar evolução da COVID-19

O One Step COVID-2019 Test, teste rápido da Celer, que identifica a presença de anticorpos relacionados ao novo coronavírus, está ajudando a Prefeitura de Betim (MG) a mapear o impacto da pandemia na cidade. Para isso, profissionais da rede local de Atenção Básica visitaram residências sorteadas, em todas as regionais do município, e aplicaram testes para detecção do coronavírus.

A ação faz parte da pesquisa “Soroprevalência para SARS-CoV-2 em residentes de Betim, MG, 2020”, realizada através do Núcleo de Pesquisa da Escola de Saúde Pública de Betim, em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A pesquisa é registrada em órgãos competentes, como o Conep (Comitê de Ética e Pesquisa) do município. Além disso, segue todos os critérios definidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Testagem da população para COVID-19

Durante a pesquisa, são aplicados dois testes em cada participante. Um é o One Step COVID-2019 Test, o teste rápido da Celer. Ele identifica se a pessoa já teve contato com o novo coronavírus em algum momento. Seu resultado é entregue na hora, com uma eficácia já comprovada de diversas formas.

O outro exame é o qRT-PCR. Ele aponta se a pessoa está com o vírus no momento do exame, com ou sem sintomas da COVID-19. O resultado é entregue posteriormente, via internet, por meio de uma chave de acesso disponibilizada para cada pesquisado. As pessoas que têm sintomas e resultado positivo são orientadas e encaminhadas para a rede do SUS.

O secretário adjunto de Gestão da Saúde de Betim, Augusto Viana Rocha, explica que o cruzamento de resultados dos dois tipos de testes fornece um panorama mais preciso da situação do município. “Dessa forma, teremos uma estimativa de quantas pessoas já foram infectadas pelo vírus, quantas estão com o vírus atualmente e qual é a linhagem do vírus predominante na cidade. Todas essas informações são importantes para embasar nossas políticas públicas de combate à pandemia”, contou.

Dados precisos para monitorar a evolução da pandemia

 A pesquisa foi desenhada para ter de três a cinco etapas, a depender dos resultados obtidos. As primeiras três etapas foram realizadas com frequência de 21 em 21 dias, e teve início em junho. Com os números obtidos estabilizados, a pesquisa será finalizada na quarta etapa, que irá ocorrer em outubro. Os resultados finais do primeiro ciclo devem ser divulgados nas próximas semanas.

Para realização do trabalho, o cálculo amostral estatístico dividiu a cidade em 36 áreas, com base nos setores censitários do IBGE e a densidade demográfica. Foi definido estatisticamente um total de 1.080 moradores por etapa. O número foi definido através do bioestatístico da Secretaria de Saúde de Betim, com base na população do município, sexo e faixa etária, de acordo com cada uma das etapas do trabalho. Ao final desse estudo, o município terá um panorama da prevalência do coronavírus por região, faixa etária e sexo.

“Para que essa amostra coletada seja um retrato fiel da população da cidade, o bioestatístico da prefeitura calculou quantos moradores precisavam ter o exame coletado e qual o percentual de homens, mulheres e faixas etárias que precisam participar da pesquisa. Essas pessoas serão escolhidas aleatoriamente via sistema computadorizado, de acordo com esse perfil traçado”, explicou a coordenadora da pesquisa, Dra. Ana Valesca Fernandes, enfermeira da rede SUS Betim, ao Portal Betim.

As residências sorteadas foram visitadas por uma equipe formada por enfermeiro, agente comunitário de saúde (ACS) e motorista. Formaram-se 36 equipes e cada uma delas foi responsável por uma região. Todos os profissionais receberam capacitação para o trabalho realizado. Além disso, receberam também orientações sobre equipamentos de proteção individual (EPIs) e medidas de segurança para evitar contágio.

Teste rápido da Celer para fins de testagem em massa

 De acordo com o secretário adjunto de Gestão da Saúde de Betim, o teste rápido da Celer chamou atenção da equipe por ter sido um dos primeiros aprovados para comercialização no Brasil e ser referenciado pela Fiocruz. Além disso, a alta especificidade comprovada, com leitura conjunta de IgM e IgG, corroboraram para a escolha. Em um dos estudos, conduzido por pesquisadores de Harvard e da Universidade da Califórnia (UCSF), o teste rápido da Celer Biotecnologia teve 99,1% de especificidade confirmada.

O teste rápido com leitura de anticorpos conjunta (IgM + IgG) permite avaliar o status sorológico da população quanto ao vírus. Por isso, é o mais indicado para fins de testagem em massa. Desta forma, é possível avaliar se a pessoa examinada:

  • teve contato com o vírus, está curada e produziu anticorpos;
  • nunca teve contato com o vírus e, por isso, não produziu anticorpos.

Com os dados obtidos, é possível verificar pessoas que já tiveram contágio e mapear casos assintomáticos. No caso de Betim, a pesquisa possibilitará estimar cientificamente os dados e identificar taxa de subnotificação na cidade. Além disso, faz parte do subsídio para planejamento de ações do Plano de Enfrentamento Municipal da COVID-19.

Augusto pontua que a Prefeitura adquiriu, para a realização da pesquisa, 6 mil unidades do One Step COVID-2019 Test. “A Celer, baseada no princípio de solidariedade internacional de pesquisa e ciência, nos fez um preço acessível que permitiu a compra da quantidade necessária de testes”, comentou.

Exames para diagnóstico complementar da COVID-19

 Além do One Step COVID-2019 Test, a Celer Biotecnologia possui em sua linha de produtos seis outros exames que auxiliam no diagnóstico complementar da COVID-19 como D-Dímero e Procalcitonina.

No final de maio, esses exames foram incluídos pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) no rol de coberturas obrigatórias dos planos de saúde. Eles buscam ampliar as possibilidades de diagnóstico da COVID-19, especialmente em pacientes graves com quadro suspeito ou confirmado. Além disso, estão alinhados às diretrizes e protocolos do Ministério da Saúde.

Clique aqui e saiba mais sobre os exames complementares da Celer para tratamento da COVID-19.

Compartilhar este post

Deixe uma resposta